quarta-feira, 2 de março de 2011

LASANHA SUPERPRÁTICA

Meu marido sempre gostou de lasanha, e reclamava porque eu sempre usava aquela massa fresca, pronta para usar, que segundo ele, não tem o mesmo sabor. Fiquei meio desanimada porque me lembrava de ver a minha avó fazendo lasanha, aquele trabalhão todo de cozinhar o macarrão, escorrer com cuidado pra não quebrar, fazer o malabarismo de tirar do escorredor para montar na assadeira... Até que um dia, zapeando em blogs de culinária (não me lembro qual, sorry) encontrei essa dica valiosíssima: usar o macarrão cru!
O segredo é a grande quantidade de molho, que vai cozinhá-lo enquanto assa. Fica bem molhadinha.

Ingredientes:

1 pacote de macarrão para lasanha
500 g de carne moída
3 tomates maduros, ou mais se quiser
400 g de presunto
400 g de mussarela
1 litro de leite
3 colheres de maizena
1 cubo de caldo de carne
1 colher de margarina
2 sachês de molho de tomate (gosto do pomarola)
Alho, cebola, cheiro verde, pimenta e azeitonas à gosto

Como preparar

Primeiro faça o molho bolonhesa:
Doure alho e cebola picadinhos em um fio de óleo, acrescente a carne moída e deixe dourar. Acrescente os tomates picadinhos, e quando começarem a desmanchar, acrescente os saches de molho pronto e um copo de água. Tempere à gosto e deixe ferver. Precisa ficar meio aguado. Se quiser, pode acrescentar pimentão, azeitonas, cheiro verde.

Agora o molho branco:
Dissolva a maisena em um pouco do leite. Derreta a margarina e junte a maisena dissolvida e o resto do leite. Adicione o cubo de caldo de carne picadinho e mexa sem parar, até engrossar e ferver. Se preferir, acrescente creme de leite depois de desligar o fogo e misture bem. Nesse caso, você pode diminuir a quantidade de leite.

Montagem:
Unte uma assadeira grande, e coloque uma camada generosa de molho bolonhesa. Coloque uma camada de macarrão, uma de presunto e uma de mussarela. Cubra com o molho branco.
Repita assim: molho vermelho  macarrão  presunto  mussarela  molho branco, quantas camadas renderem ou a sua assadeira couber. Finalize com molho branco, e se quiser, polvilhe queijo ralado por cima ou cheiro verde. Asse em forno médio, por 20 minutos coberta com papel-alumínio e mais 15 ou 20 descoberta.


quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Dicas para tudo

Você é como eu, que vive recorrendo ao google para encontrar diversas soluções para os mais corriqueiros probleminhas domésticos? Hoje encontrei um site que parece ser a solução para diversos desses meus probleminhas. O nome é meio pretensioso, "Dicas par tudo", mas na verdade é mais restrito ao âmbito doméstico mesmo. Fica aqui a dica, caso você precise:
http://www.senado.gov.br/portaldoservidor/jornal/jornal69/Dicas%20para%20tudo.htm#inicio

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Receita amiga da dieta: Pão Integral




Criei esta receita à partir de uma outra muito prática e deliciosa para massa de salgados assados, do Panelaterapia. Na primeira vez fiz a receita tradicional, excelente por sinal, mas na segunda resolvi fazer uma esfiha integral. Substituí o açúcar branco pelo mascavo, e a farinha de trigo pela farinha integral, reduzi pela metade a quantidade de óleo. O resultado foi fantástico!!! E, como sobrou massa, pois fiz a quantidade de esfihas necessárias apenas para o jantar, enrolei as que sobraram como pãezinhos, que ficaram igualmente fantásticos.
E não é que agora, que estou fazendo dieta oficialmente, com acompanhamento médico, fui proibida de comer massas brancas?!? Até gosto do pão de forma integral e suas inúmeras variações, mas, todo dia acabo enjoando, sem contar que metade do pacote acaba mofando e eu detesto pão guardado na geladeira. Então estou intercalando pão de forma com este aqui, e estou adorando. Além de muito gostoso, dá uma sensação incrível de saciedade por um bom tempo. Vamos à receita:

1 e 1/2 xícaras de água morna
1/2 xícara de óleo
2 colheres de açúcar mascavo
1 colher de sal
1 colher ou 1 pacotinho de fermento biológico seco
1/2 kg, mais ou menos, de farinha de trigo integral
**Se você substituir um copo de farinha integral por farinha branca, o pão fica mais levinho e mais fofo. Neste pão da foto usei apenas farinha integral.

Em uma vasilha, de preferência grande, coloque o óleo, o açúcar, sal, fermento e agora a água morna, que não pode estar mais pra quente. Por ultimo vá encorporando a farinha. Misture, delicadamente. Não precisa sovar, nem deixar crescer, nem nada, depois de lisa basta enrolar e colocar pra assar em forma untada, do jeito que você preferir. Asse até ficar douradinho. Você pode fazer um 'pãozão' ou pãezinhos, pode rechear a gosto, pode fazer esfihas ou outro salgado que queira. Vou arriscar até uma pizza com esta massa, depois posto o resultado, ok?

Receita original aqui:

http://www.panelaterapia.com/2010/08/massa-para-salgados-assados.html

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Você sabe harmonizar a pizza com o vinho?


Hum... Fim de semana chegando, já começo a pensar no vinho que vou tomar e no prato que vai acompanhá-lo. Sim, minha gente, eu penso primeiro no vinho!!!! (Socorro, chame o A.A!) Adoro vinho com uma boa macarronada, e com pizza também vai muito bem.
Aliás, além de vinho sou viciada em massas de todos os tipos: pães, lasanha, nhoque, panquecas... Mas não é qualquer vinho que casa bem com determinados tipos de molhos ou sabores de pizza. Encontrei algumas dicas valiosas que reproduzo na íntegra logo mais (claro que eu não colocaria minha opinião pessoal aqui, porque de vinho só entendo de saborear). E de brinde a reportagem traz algumas versões para a origem da pizza.



Vinho e Pizza

Conteúdo do site www.revistaadega.uol.com.br

Um dos pratos mais simples e apreciados do mundo pode ser acompanhado por diferentes estilos de vinhos

Por Sílvia Mascella Rosa

Acredite se quiser, somente na cidade de São Paulo são devoradas por dia quase um milhão de unidades de pizza. A única cidade com maior consumo no mundo é Nova York. São Paulo também conta com 6 mil pizzarias e as fatias dos paulistanos representam 53% de todas as consumidas no país. E como a herança italiana não deixa mentir, pizza combina com vinho.

MUITAS VERSÕES PARA UMA HISTÓRIA

Deuses romanos como Ceres e Vulcano, o explorador Marco Polo, navegadores espanhóis e portugueses, rainhas e imperadores têm uma fatia na história da pizza. Mas a versão mais plausível para o surgimento desta iguaria remonta ao tempo em que Jesus Cristo ainda habitava a terra. Os hebreus preparavam uma massa de farinha e água assada sobre uma pedra chata ao calor do sol. Os romanos descobriram esse alimento e levaram-no para a Itália, onde recebeu o nome de "picea". Era servida em todas as refeições, temperada com azeite, sal e especiarias e sempre acompanhada de um cálice de vinho.
No fim da Idade Média, a "picea" dos italianos passou a ser mais do que apenas uma massa temperada.A picea permaneceu simples assim até que, no final da Idade Média, passou a ser acrescida de outros ingredientes, como os tomates trazidos do Novo Mundo pelos navegadores. A pizza, tal qual a conhecemos hoje, é o que os italianos chamam de "pizza napoletana", um disco de massa com molho de tomates, cobertura de queijo e ervas, assada em forno a lenha. Para esse alimento tão tradicional e descomplicado, o acompanhamento ideal é uma simples taça de vinho tinto seco de boa acidez e taninos leves.
Vinhos tintos secos, de boa acidez e taninos leves geralmente são os melhores companheiros das pizzas

HARMONIZANDO A TRADIÇÃO

A pizza de mozzarella (ou a variante com tomate e manjericão - margherita) embora seja a mais popular e vendida em todo o país, divide espaço com a de calabresa, a portuguesa, a de 4 queijos e a de aliche (cujo nome varia de região para região) entre as mais apreciadas, assim a harmonização também varia.

Para harmonizar com uma pizza de 4 queijos, experimente um Chardonnay
Carina Cooper, sommeliére da Vinícola Salton, dá duas dicas importantes: "Para a pizza de 4 queijos sugiro um Chardonnay com acidez boa, para poder enfrentar a gordura dos queijos e, para a pizza portuguesa, que leva muitos ingredientes - até mesmo ovos que são de difícil harmonização -, eu sugiro um Jerez Fino, bem seco, um dos poucos vinhos do mundo capazes de fazer frente aos ovos", ensina Carina.

Se a tradição imperar, não hesite em escolher um bom vinho italiano da uva Sangiovese (a mesma que entra na composição do famoso Chianti), seus taninos leves e boa acidez, com delicado toque frutado, combinarão com perfeição com a margherita, a mozzarella e até mesmo com a Calabresa se não for apimentada. Outra boa opção são os vinhos Cabernet Sauvignon do Novo Mundo, com um pouco mais de taninos, que combinarão bem com os sabores mais intensos da Calabresa com mozzarella, por exemplo.

Por fim, a pizza com aliche pede um pouco de ousadia. Vale tentar um vinho branco português, de uvas como a Alvarinho ou a Maria Gomes e até mesmo um rosé mais picante, como um espumante nacional. Buon Appetito!

Original aqui:http://revistaadega.uol.com.br/Edicoes/59/artigo187436-1.asp

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Torta de atum com abobrinha - Integral


Essa torta foi um verdadeiro achado. Domingo à noite, aquela preguiça,quase nada dando sopa na geladeira, exceto algumas abobrinhas. Lembrei que ainda tinha atum no armário. Corri pro google ver se tinha alguma receita com macarrão, panqueca ou algo do gênero ( a preguiça era tanta que não tive coragem nem de ter uma ideia própria, tive que recorrer à net). Bom, vi um monte de receitas, e esta me chamou atenção por causa do título Receita de Torta Fácil de Abobrinha e Atum .
Na verdade é bem fácil mesmo, mas não muito rápida, porque ralar e picar legumes não é tarefa muito ligeira pra mim. Mas ficou incrivelmente saborosa.Substituí alguns ingredientes, para torna-la menos calórica e mais saudável. E considero esta receita um achado porque enquanto estava comendo, pensei em criar novas receitas a partir desta. Trocando a abobrinha por beringela, por exemplo, ou repolho, substituindo o atum por carne moída, presunto, parmesão, calabresa. Bem, vamos à receita:


Ingredientes:

•2 unidade(s) de abobrinha ralada(s)
•2 xícara(s) (chá) de farinha de trigo (eu coloquei metade farinha branca e metade integral. Acrescentei por minha conta meia xícara de aveia em flocos.)
•1 xícara(s) (chá) de óleo de soja (coloquei apenas 1/2 xícara e ficou pra lá de bom)
•3 unidade(s) de tomate picado(s)
•1 unidade(s) de cebola picada(s)
•2 dente(s) de alho amassado(s)
•3 unidade(s) de ovo
•1 colher(es) (sopa) de fermento químico em pó
•2 colher(es) (sopa) de queijo ralado
•quanto baste de cheiro-verde picado(s)
•1 lata(s) de atum

Preparação:
Misturar tudo muito bem. Levar a assar em forma ou refratário untado com óleo em forno quente por 30 minutos aproximadamente. A torta estará assada quando, ao colocar um palito no meio da torta, este sair seco.
Receita original aqui: http://www.moo.pt/receitas/receita/cafe_da_manha_lanches_festas/torta_facil_de_abobrinha_e_atum/8v1spRcthvEMwBx1/

Pronto! Um jantarzinho leve, saborosíssimo e com poucas calorias!

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Eu já desconfiava!


Oi, gente, tudo bem? Andei sumidinha, morrendo de vontade de postar, mas sem tempo para preparar um "postzinho' sequer. Bom, hoje, feriado, uma trégua na correria, estava lendo um site que gosto muito sobre saúde e nutrição e achei uma matéria superinteressante sobre o excesso de peso: O ESTRESSE ENGORDA. Eu já tinha quase certeza. Porque quanto mais eu corro, estresso e me viro nos 30 para dar conta de tudo, mais e mais fome eu tenho. E não serve frutinha, barrinha de cereal, suquinho. Nessas horas eu preciso mesmo é de uma confort food: bolinho de chocolate, barrinha de chocolate, brigadeiro, capuccino, salgadinho, pão, pão, pão... tudo com um copo de coca! E, com a falta de tempo, a atividade física fica sempre pra segunda-feira (que não chega nunca). Mas a culpa pelos quilos à mais não é só da compulsão por comidas que produzem sensação de prazer. Os hormônios também têm sua parcela de culpa porque fazem a gordura se acumular no abdômen. Agora eu entendo porquê engordei tanto depois que me casei. Quando solteira, jantava um pratão de comida e mamãe sempre tinha uma sobremesa: trufa, pavê, bombom. A comida dela tem mais gordura que a minha. Hoje como menos, substituí o jantar por um lanchinho leve, nada de sobremesa, e ainda assim ganhei 5 quilos em um ano.
Se quiser saber mais, leia o artigo do site Sentir Bem:

http://sentirbem.uol.com.br/index.php?modulo=artigos&id=97&tipo=1

Aliás, tenho aqui nos meus favoritos um índice com matérias superinteressantes sobre saúde do site:

http://sentirbem.uol.com.br/index.php?modulo=artigos_seg&id_seg=2

E tem também matérias voltadas para pessoas de outras faixar etárias, é só selecionar.
Um bom feriado ensolarado e até a próxima!

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Update sobre máquinas de costura Singer


Vocês já conhecem minha saga com a costura e também com as máquinas de costura. Não é segredo pra ninguém que eu preferia uma Singer, por causa da tradição, facilidade com assitência técnica e tudo mais. Fiquei extremamente chateada quando desisti da Facilita e percebi que não tinha uma Singer que se encaixasse nas minhas necessidades. Mandei um email, (bem, não foi desaforado, porque desaforo é a Singer fazer isso com o consumidor) bastante sincero falando tudo o que eu pensava e externando minha revolta. Eis que agora a Singer lança uma nova linha de máquinas, a Tradition, que agrega uma série de detalhes, como braço livre, diversos pontos utilitários e decorativos, caseador de 1 passo... Mandei um novo email para o Sac, sondando a capacidade da bichinha e obtive a seguinte resposta:

Senhora Karina, esse modelo de máquina foi testada pela fábrica e pode costurar até 8 camadas de jeans. E o modelo mais completo Tradition 2273.
Agradecemos o contato,
Atendimento Singer
Sac Singer 08007022323.



Não estou aqui para fazer propaganda, mas que deu uma dorzinha de cotovelo deu. Eu sempre quis uma Singer! Claro que minha Janome está atendendo bem às minhas necessidades, e eu gosto muito dela. Mas tem lá suas limitações. Não me arrependo de ter comprado, até porque nesses 4 meses ela já fez muita coisa, trabalhou bastante e me ensinou muito. Tem também o custo-benefício, uma Singer Tradition está saindo por cerca de 700 reais, eu paguei 400 pela minha Janome. Mas, pôxa, porque a Singer demorou tanto pra acordar?